A caminho de Guimarães

 
Sempre gostei muito de ir passear até Guimarães e este ano há mais uma razão para passar por lá: a cidade é Capital Europeia da Cultura. Estando aqui tão perto, não poderia deixar de revisitá-la numa ocasião tão especial. Embora já conhecesse os seus monumentos mais emblemáticos, ainda não tinha tido a oportunidade de ver o seu centro histórico completamente renovado. Para além disso, sentia uma grande curiosidade pelo recém-inaugurado Centro Internacional das Artes José de Guimarães, que não gorou as minhas expectativas: o edifício é muito bonito e a coleção de arte, muito interessante. A par de tudo isto, o ambiente que se vive na cidade é incrível. As manifestações artísticas vão acontecendo um pouco por toda a parte e os turistas vindos dos mais variados países conferem à cidade um tom cosmopolita. Achei Guimarães mais jovem, mais alegre, mais solta e mais sofisticada! 
 
Foi no comboio que me levou até Guimarães que o Artur se sentou à minha frente e puxou de um livro, cuja leitura o entreteve durante a viagem. A obra em causa era “Inês Vai Morrer“, um romance da autora italiana Renata Viganó. Este livro, que integra a coleção Biblioteca Avante!, relata a luta dos partigiani italianos contra o fascismo e a ocupação nazi durante a Segunda Guerra Mundial. Baseado em facto verídicos, bastante dramático e muito bem escrito foram os três aspetos do romance que o Artur salientou tendo rematado, depois, que estava a gostar muito da sua leitura.
Advertisements

One thought on “A caminho de Guimarães

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s