O Pedro rendido às sombras


Elogiada por muitos e desprezada por outros tantos, a trilogia d’ “As Cinquenta Sombras” é um fenómeno editorial incontornável e sem precedentes. Traduzida em 40 países, já terá vendido mais de 40 milhões de cópias e bateu todos os recordes de vendas previamente estabelecidos. Esqueçam os “Harry Potters, esqueçam “O Código Da Vinci“: os três volumes d’ “As Cinquenta Sombras” conquistaram e matêm-se há meses em todos os tops dos países onde foram publicados e são os livros que mais rapidamente venderam em toda a história da edição. Erótico, pornográfico, explícito, ardente, obsessivo, viciante são alguns dos adjetivos usados — quer pela crítica literária, quer pelas legiões de fãs — para descrever a trilogia que, ao que parece, conquistou sobretudo jovens mulheres/mães por esse mundo fora, sendo responsável pelo reavivar da chama de muitos casamentos. São frequentes os testemunhos de casais que dizem ter sentido os efeitos benéficos da leitura do romance, por ter sido despertado nas mulheres um desejo intenso por sexo com os companheiros. 

Estando eu a par dos milhares de exemplares que os dois primeiros volumes já venderam em Portugal (o terceiro só amanhã chega às livrarias), andava a estranhar ainda não me ter cruzado com ninguém a ler este livro, e não foram poucas as vezes que comentei com amigos ou com colegas de trabalho que achava que as portuguesas estavam com vergonha de ser vistas em público com o livro nas mãos. Até ao dia em que a vida, irónica como sempre, me levou não até uma leitora, como eu tinha imaginado, mas até ao Pedro que sem falsos pudores e na presença da namorada me falou abertamente d’ “As Cinquenta Sombras“. 

E o que tem o Pedro a dizer sobre este romance? Antes de mais, que foi a namorada que começou a lê-lo e que ela gostou tanto que ele não lhe resistiu e começou a “devorá-lo” (expressão sua). Depois, que gosta da forma objetiva como está escrito, do modo como a autora consegue transmitir ao leitor tudo o que os personagens sentem, tendo ficado “preso” ao que o casal protagonista vive e chegando a admitir que se revê em muitas das situações. E por último que esta leitura lhe permitiu entrar no mundo do BDSM (Bondage, Discipline, Sadism, Masochism) que desconhecia, embora esteja convencido que a abordagem do livro a esta prática sexual é muito “soft”Por estas razões (e com certeza por muitas outras que não se enumeraram no decorrer da nossa conversa) o Pedro e a namorada não veem a hora de pôr as mãos no terceiro e último volume do romance, fazendo salientar que também os amigos “andam todos entusiasmados” com a trilogia. 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s